20/11/2018

Tenda da Agroecologia

A Tenda da Agroecologia é uma Feira de produtos da agricultura familiar Campomaiorense de base agroecológica, ou seja,[…]

A Tenda da Agroecologia é uma Feira de produtos da agricultura familiar Campomaiorense de base agroecológica, ou seja, produzidos sem uso de Veneno e Agroquímicos. Acontece todos os sábados em frente ao Sindicato das Trabalhadoras e Trabalhadores rurais de Campo Maior. Os produtos comercializados variam de verduras, frutas,ovos e galinha caipira, até bolos, doces, queijos, mel e leitão assado.

A iniciativa partiu do Centro Vocacional em Segurança Alimentar do IFPI, junto ao Núcleo de Educação Ambiental Paulo Freire da UESPI, a Coordenadoria Municipal de Mulheres e o Sindicato das Trabalhadoras e Trabalhadores rurais. Esse trabalho se iniciou há três anos atrás, com cursos, dias de Campo e Treinamento dessas agricultoras e dos agricultores. Existem também vários parceiros envolvidos para que esse projeto aconteça , a Secretaria de Ação Social, Secretaria de Desenvolvimento Rural , EMATER, A Rede Piauiense de Agroecologia.

Um dos diferenciais do projeto, é trabalhar-se o Feminismo com a campanha “ Pela divisão Justa dos Trabalhos Domésticos “, pois através de uma pesquisa, identificou-se um grande número de mulheres da zona rural com algum tipo de depressão devido à sobrecarga de trabalho.” A Agroecologia não é apenas um pacote tecnológico do não uso de veneno, é uma ciência que prega principalmente o bem viver, tanto dos agricultores e agricultoras, quanto dos consumidores , queremos também um mundo mais igualitário , e que todas e todos tenham o direito de exercer a soberania alimentar, ou seja comer alimentos sem veneno que causam tanto mal à saúde humana e ao meio ambiente. “ressalta professora Dayse Batistista do IFPI uma das idealizadoras do projeto . Ela ainda complementa “ Comprando produtos de base agroecológica, os consumidores estarão garantido a sobrevivência de várias espécies, inclusive a humana.

Fonte: Dayse Batista dos Santos: Engenheira Agronômica pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, é especialista em Gestão ambiental , mestre em Microbiologia Agrícola pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e doutoranda em Biotecnologia pela Renorbio, com área de concentração em desenvolvimento de produtos Agroecológicos

Faça Bonito (18 Maio)

HISTÓRIA  Em 1973 um crime bárbaro chocou o Brasil. Seu desfecho escandaloso seria um símbolo de toda a[…]

HISTÓRIA 

Em 1973 um crime bárbaro chocou o Brasil. Seu desfecho escandaloso seria um símbolo de toda a violência que se comete contra as crianças.

Com apenas oito anos de idade, Araceli Cabrera Sanches foi sequestrada em 18 de maio de 1973. Ela foi drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. O caso foi tomando espaço na mídia. Mesmo com o trágico aparecimento de seu corpo, desfigurado por ácido, em uma movimentada rua da cidade de Vitória (ES), poucos foram capazes de denunciar o acontecido. O silêncio da sociedade capixaba acabaria por decretar a impunidade dos criminosos.

Os acusados, Paulo Helal e Dante de Brito Michelini, eram conhecidos na cidade pelas festas que promoviam em seus apartamentos e em um lugar, na praia de Canto, chamado Jardim dos Anjos. Também era conhecida a atração que nutriam por drogar e violentar meninas durante as festas. Paulo e Dantinho, como eram mais conhecidos, lideravam um grupo de viciados que costumava percorrer os colégios da cidade em busca de novas vítimas.

A capital do estado era uma cidade marcada pela impunidade e pela corrupção. Ao contrário do que se esperava, a família da menina silenciou diante do crime. Sua mãe foi acusada de fornecer a droga para pessoas influentes da região, inclusive para os próprios assassinos.

Apesar da cobertura da mídia e do especial empenho de alguns jornalistas, o caso ficou impune. Araceli só foi sepultada três anos depois. Sua morte ainda causa indignação e revolta.

SÍMBOLO 

A campanha tem como símbolo uma flor, como uma lembrança dos desenhos da primeira infância, além de associar a fragilidade de uma flor com a de uma criança. O desenho também tem como objetivo proporcionar maior proximidade e identificação junto à sociedade, proximidade e identificação com a causa.

Esse símbolo surge durante a mobilização do Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes de 2009. Porém, o que era para ser apenas uma campanha se tornou o símbolo da causa, a partir de 2010.

Para alcançar esse objetivo, é necessário que a sociedade em geral Faça Bonito na proteção de nossas crianças e adolescentes.

CHAMADA

O slogan Faça Bonito – Proteja nossas crianças e adolescente quer chamar a sociedade para assumir a responsabilidade de prevenir e enfrentar o problema da violência sexual praticada contra crianças e adolescentes no Brasil.

LEI

Lei 9.970 – Institui o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infanto-juvenil

Fonte: www.facabonito.org.br

FEIRA DO MILHO 2018

A comunidade água fria está se organizando para realização de mais uma edição da Feira do Milho marcada[…]

A comunidade água fria está se organizando para realização de mais uma edição da Feira do Milho marcada para os dias 04 e 05 de maio com uma ampla programação cultural, esportiva e social.

Os organizadores do evento afirmam que a cada ano a Feira se consolida já que para alguns agricultores familiares da região o milho é uma fonte de renda e garantia de sustento de suas famílias.

Os organizadores aguardam um grande público esse ano. não apenas do município de Campo Maior, mas também de outros municípios da região.

SEMAS divulga nova data do Fórum Regional de Inclusão

Em decorrência das fortes chuvas que afetaram centenas de famílias o Governo do Estado do Piauí e a[…]

Em decorrência das fortes chuvas que afetaram centenas de famílias o Governo do Estado do Piauí e a Prefeitura Municipal de Campo Maior decidiram adiar a data do Fórum Regional de Políticas Públicas para Pessoa com Deficiência para os dias 11 e 12 de maio. A equipe organizadora do Fórum afirmou que o local está mantido que é o colégio Patronato Nossa Senhora de Lourdes.

Fonte: Secretaria Municipal de Assistência Social e Geração de Renda

IFPI Inicia Projeto de Naturopatia

Iniciou no espaço Terapêutico Holístico “Flor do Oriente Terapias”, o curso de Meditação e Práticas Integrativas para cinco[…]

Iniciou no espaço Terapêutico Holístico “Flor do Oriente Terapias”, o curso de Meditação e Práticas Integrativas para cinco servidoras do Instituto Técnico Federal – IFPI / Campus Campo Maior. O curso está sendo ministrado pela Terapeuta Holística, Jane Gabriela Mariano e Silva. A finalidade do curso é, ao final, haver a implantação do Laboratório de Práticas Integrativas e Complementares a Saúde e Segurança Alimentar e Nutricional-LABOZEN, no campus Campo Maior, para desenvolver práticas de meditação e naturopatia que auxiliem os alunos, professores e funcionários a diminuir fatores de ansiedade e insegurança alimentar. A equipe multidisciplinar que faz parte do projeto é composta pelas servidoras: Érica Larisse (Técnica em Enfermagem), Gilmara Carvalho (Assistente de aluno) Juliana Oliveira (Nutricionista), Karlania Carvalho (Assistente Social) e Gilda Gomes (Técnica em Saúde Bucal).

Este projeto teve início com a aprovação  da proposta da professora Dayse Batista dos Santos, da chamada CNPq/MCTIC Nº 016/2016 – SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NO ÂMBITO DA UNASUL em Agosto de 2017. “Uma das metas da proposta é a Criação do LABOZEN no IFPI Campus Campo Maior-PI, afim de com as práticas integrativas realizadas no projeto, alunos, professores e servidores venham a se beneficiar com as práticas de meditação e naturopatia.” “Iremos realizar estudos que irão aliar o uso de práticas integrativas e meditação a melhoria da insegurança alimentar, ansiedade, dentre outras enfermidades”. A professora Dayse salienta que ainda no ano passado foi implantado uma horta de plantas medicinais na Área Experimental Agroecológica do Campus, e estas plantas serão utilizadas para a prática de naturopatia pelas pessoas assistidas pelo LABOZEN” . Já o diretor do Campus professor Washington Moura Barbosa acredita que esse projeto é de suma importância para o Campus, e o mesmo certamente servirá de modelo para outros campi “ A proposta apresenta um conceito ampliado e positivo de saúde aliada a segurança alimentar e uso de plantas medicinais aliado a meditação, tendendo a aproximar a promoção da prevenção de doenças, e da dimensão de cada indivíduo que irá ser atendido no LABOZEN”. O professor Washington ainda salienta que estudos demonstram que a Meditação causa repercussões positivas na ansiedade e outros problemas que os estudantes reclamam.

O curso terá a duração de um mês, e a previsão de início da triagem de alunos, professores e funcionários que irão ser atendidos no LABOZEN pela equipe multidisciplinar que está sendo treinada, será no mês de maio, para que os atendimentos iniciem em Junho do presente ano.

 

Fonte: DAYSE BATISTA DOS SANTOS: PROFESSORA DO INSTITUTO FEDERAL DO PIAUÍ - CAMPUS CAMPO MAIOR; ENGENHEIRA AGRÔNOMA - UFRB; ESPECIALISTA EM GESTÃO AMBIENTAL - ICLA; MESTRE EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA - UFRB; DOUTORANDA EM BIOTECNOLOGIA - UECE.

Geração de Trabalho e Renda.

A Feira da Agricultura Familiar, Economia Solidária e Sustentável foi um verdadeiro sucesso de publico e de vendas[…]

A Feira da Agricultura Familiar, Economia Solidária e Sustentável foi um verdadeiro sucesso de publico e de vendas graças à ação intersetorial dos parceiros envolvidos na organização do evento e do fomento da gestão municipal em proporcionar as condições necessárias para as famílias produtoras e aos artesãos comercializar seus produtos.

A Feira atingiu uma de suas principais metas que a geração de trabalho e renda e a inclusão das famílias produtoras na economia ativa do município indo além das expectativas e tornando-se o pilar de divulgação para a próxima edição que está prevista para o dia 30 de Abril no Complexo Cultural Valdir Fortes.   

À medida que a feira se populariza surge a necessidade, de posteriormente, criar um local de referência no município para torna-la permanente. Esse espaço é uma antiga reivindicação das famílias produtoras de Campo Maior que sonham com esse dia.

AMORARTE 2018

A Secretária de Assistência Social, Nilzana Gomes, lançou oficialmente (22 de março) a segunda edição da Feira de[…]

A Secretária de Assistência Social, Nilzana Gomes, lançou oficialmente (22 de março) a segunda edição da Feira de Artesanato dos Carnaubais – AMORARTE que será realizada nos dias 03 e 04 de agosto no Complexo Cultural Valdir Fortes sendo que as inscrições para participar já iniciaram e vão até o dia 06 de Abril e tem como meta atingir número 70 expositores tanto de Campo Maior quanto de outros municípios.

Esse ano a AMORARTE terá como tema central a batalha do jenipapo norteando a confecção das peças que serão comercializadas durante a feira . foi divulgada pela Secretária Nilzana a realização de um concurso que irar premiar os artesãos que confeccionarem peças referentes ao tema e que posteriormente às peças serão publicadas no livro do Artesão 2018.

Até a execução da AMORARTE os artesãos passarão por varias capacitações qualificando ainda mais os profissionais da arte de nosso município.

 

Cofinanciamento dos Serviços Socioassistenciais da Proteção Social Básica e Especial

  O Conselho Municipal de Assistência Social – CMAS em reunião na manhã de (23 de março) na[…]

 

O Conselho Municipal de Assistência Social – CMAS em reunião na manhã de (23 de março) na Secretaria de Assistência Social e Geração de Renda – SEMAS deliberou e aprovou o termo de aceite para cofinanciamento estadual de programas, projetos e benefícios eventuais.

O termo foi assinado pelo Prefeito Professor Ribinha e pela Secretária de Assistência Social, Nilzana Gomes, que durante a reunião do conselho enfatizou sobre a importância deste cofinanciamento para a ampliação das políticas públicas da rede socioassistencial.

De acordo com o artigo primeiro da LOAS,“a assistência social, direito do cidadão e dever do estado, é política de seguridade social não contributiva , que provê os mínimos sociais, realizada através de um conjunto integrado de iniciativa pública e da sociedade , para garantir o atendimento às necessidades básicas” (PNAS. Brasil,2004)

 

Feira de base agroecológica, você sabe o que é? Você compraria?

No ano Passado, a cidade de Campo Maior foi presenteada com a iniciativa de um grupo de atores[…]

Alimentos muito mais saudáveis para a mesa do campomaiorense

No ano Passado, a cidade de Campo Maior foi presenteada com a iniciativa de um grupo de atores de instituições públicas, uma feira de base agroecológica. Sucesso absoluto. Tanto que já está pronta sua 2ª edição, ampliada e revisada.Com uma diversidade de produtos de nossa terra, tratados com muita dedicação, a senhora dona de casa e você pai de família poderá se deliciar com o que vai encontrar, com preços atrativos, sendo atendido diretamente pelo dono.Os alimentos não passam por tratamentos químicos ou uso de agrotóxicos, zerando a possibilidade de ser consumido com algum resíduo dele, o que, nos tempos de hoje, está cada dia mais difícil.

Segundo a professora Dayse Santos, servidora do IFPI Campus Campo Maior “As Feiras de base agroecológicas são diferentes das Feiras Agroecológicas ou orgânicas (Sinônimos perante legislação), pois, caso fossem denominadas como tal, teria que ter a certificação, fosse por auditoria, participativa ou OCS (organização de controle social). Porém Além de ser uma alternativa de venda e contribuir para o desenvolvimento econômico dos produtores e dos municípios, as feiras também contribuem para a valorização das práticas e saberes da agricultura familiar, dos produtos oriundos da sociobiodiversidade, dos princípios e práticas do comércio justo e solidário, além de reconhecer o valor do trabalho feminino e da atuação dos produtores na segurança alimentar e nutricional.”

“Quando são apoiadas pelo governo do estado (Que é o caso da nossa) é uma alternativa que as agricultoras e agricultores familiares têm de usarem outros meios para escoar suas produções, como o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos). A nossa Feira tem dinamizado as economias dos agricultores familiares de Campo Maior ao promover a valorização e aumento de renda da produção local.

“Então, dia 28 de março, quarta-feira da semana santa, você terá uma nova oportunidade de conhecer e adquirir esses produtos para servir saúde a sua família e convidados. Será na Praça Valdir Fortes, começando as 05:00 horas da manhã. Não se preocupe se não der tempo de tomar café em casa, teremos barracas com aquele café cheiroso e gostoso e produtos de qualidade para dar aquela despertada e dar força para levar os sacos da feira que você irá comprar.

 

Fonte: Paulo Roberto Segundo

Todos pela inclusão!

A Secretaria de Assistência Social e Geração de Renda – SEMAS já iniciou as pré-inscrições do Fórum Regional[…]

SEMAS: trabalhos que buscam a inclusão social

A Secretaria de Assistência Social e Geração de Renda – SEMAS já iniciou as pré-inscrições do Fórum Regional de Políticas Públicas para Pessoa com Deficiência que será realizado nos dias 27 e 28 de abril no colégio Patronato Nossa Senhora de Lourdes e podem ser feitas presencialmente pelos telefones: 995824617 /32522522, sendo necessário nome completo e CPF do participante. Participe!