21/01/2019

um aluno muito especial

Dona Maria e Seu José são chamados pela diretora da escola para falar do filho deles, uma aluno[…]

Dona Maria e Seu José são chamados pela diretora da escola para falar do filho deles, uma aluno da 4ª série.

– Senhores pais, chamei-os aqui porque o filho de vocês está dando muito o que falar aqui em nossa escola.

– O que aconteceu desta vez? Responderam os pais a uma só voz.

A diretora continuou, dirigindo-se à mãe do menino-santo.

– Bom, Dona Maria, é que seu filho anda operando façanhas pelo colégio: ele resolveu a miopia de uma aluna usando barro e saliva, secou um pé de goiaba que estava prestes a cair sobre a escola, curou o pé quebrado de um colega de turma e está transformando a água do bebedouro em achocolatado na hora do recreio!

– Sabe, senhora diretora, é que nosso filho Jesus de Nazaré é um menino muito, muito especial, disse Dona Maria.

– É Verdade, interveio Seu José. Outro dia levamos Jesus para assistir a uma aula de reforço, nos desencontramos e fomos reencontrá-lo dando aulas aos mestres e doutores do Templo.

– Sim, eu ouvi falar desse episódio, informava a diretora austera.

– Pois é, Jesus é muito estudioso, disse Dona Maria. Ele adora contar parábolas, mas não é muito de escrever. Os amiguinhos Mateus, Marcos, Lucas e João é que registram suas histórias. Jesus já leu o Antigo Testamento umas mil vezes, a senhora me acredita!?

– Acredito, mas o problema é que Jesus arrasta multidões por onde passa e isso está deixando a escola alvoroçada, advertiu a diretora.

– Sabemos disso, mas garantimos que Jesus não faz isso por mal. Ele é um menino bom, ajuda todo mundo, é capaz de dar a vida por cada um de nós… Vai pro céu em vida, desabafa Seu José.

– Vejam bem a minha situação: outro dia, lembrava a diretora, Jesus tumultuou a aula de natação quando ele começou a andar por sobre as águas e todas as crianças queriam fazer a mesma coisa, pode isso!?

– Concordo, senhora diretora, mas quando a merenda da escola acabou, foi Jesus quem pegou cinco pães e dois copos de suco da cantina, multiplicou tudo e teve merenda para o resto do ano letivo, não é verdade? Interpelou Seu José.

– Sim, não posso negar que o aluno Jesus salvou a todos nós nesse dia… Só peço aos senhores mais discrição nas ações de seu filho.

– Jesus vai receber alguma advertência ou suspensão por essas ocorrências? Indagava Seu José.

– Não se preocupem, ninguém vai crucificar o seu filho!

– É mesmo!? Respondeu desconfiada Dona Maria. Tudo bem, nós falaremos com Jesus.

– Ah, antes que eu me esqueça, nesta semana o prefeito Herodes e o governador Pôncio Pilates irão inaugurar a quadra de esportes de nossa escola e Jesus fará um discurso sobre… – a diretora mexe em papéis avulsos – achei: Jesus discursará sobre um notícia nova, boa… Uma Boa Nova, assim ele me disse.

– Mas será que essas autoridades não vão se zangar com o discurso da Boa Nova de nosso filho Jesus? Quis saber José.

– Que nada, disse a diretora, daqui a dois mil anos ninguém vai lembrar mais disso!

– Será? Perguntou Maria.

Veja também