08/12/2019

Fake News é show em desinformação

Desinformação não é um termo que deva ser desconsiderado, pois é bem mais que uma palavra qualquer. A desinformação envolve principalmente o que você assiste, ouve ou lê por aí

Apesar da arte de mentir e manipular a verdade estar presente na humanidade desde a queda do homem, a desinformação teve seu uso mais famoso a partir das ditaduras revolucionárias socialistas do século XX. A URSS compreendia que, a princípio, seria mais fácil dominar a mente das pessoas do que submetê-las pelo uso da força.

Assim,  o Governo Soviético poderia manobrar a grande massa de acordo com seus intentos malignos. Por isso se utilizou e aperfeiçoou as técnicas de desinformação: fabricando fatos, apresentando falsas testemunhas, criando documentos e provas para incriminar qualquer pessoa ou grupo que desejasse eliminar.

Ion Pacepa no seu livro Desinformação, afirma que esta técnica “é uma ferramenta de inteligência secreta, utilizada para outorgar falsas informações por meio de órgãos não governamentais para influenciar a opinião pública…”.

Conforme a Grande Enciclopédia Soviética, desinformação pode ser definida da seguinte forma:

DEZINFORMÁTSIYA: “Disseminação (veículos impressos, rádios, etc.) de falsos relatórios pretendendo enganar a opinião pública. A imprensa capitalista e as rádios fazem amplo uso da dezinformatsyia, com intuito de enganar as pessoas, emaranhando-as em mentiras, e descreve a nova guerra sendo preparada pelos Imperialistas Anglo-Americanos como uma arma defensiva, que descrevem as políticas pacífico-amorosas da URSS, e outros países democráticos, alegadamente agressivos.”

Onde as técnicas de desinformação não prevaleceram, a perseguição e a morte foram decisivas para os intentos comunistas.

Infelizmente, as técnicas de desinformação e persuasão estão mais vivas do que nunca. A mídia, que antes era conhecida por defender a opinião pública e trabalhar de forma imparcial, apoderou-se destas técnicas, mas não sem uma finalidade. Grandes corporações da mídia e das comunicações, principalmente as globais, possuem uma agenda própria. Suas novelas, seu produtos jornalísticos, programas de entrevistas, portais na internet e jornal impresso: todos seguem a agenda estabelecida pelos “donos da comunicação”.

O brasileiro médio não consegue perceber, mas aquilo que ele vê, ouve ou lê está contaminado por ideias e insights, envolvidos pelos seus interesses mais escusos. Estão bem perto de você: no jornal impresso, no Encontro pela manhã, no Jornal das 8:00, e nos Fantásticos dominicais.  Já é comprovado através de pesquisas que vários produtos da mídia, como as novelas, possuem um grande poder de influência na sociedade. Recentemente a novela Força do Querer trouxe como um dos seus motes o “incrível drama” de uma transgênero com dificuldade de aceitação. Com isso a autora Gloria Perez queria “mostrar que a dor de Ivana é universal”. Segundo a Veja, conseguiu. Mas será que era só isso mesmo?

O portal da Folha de São Paulo publicou no dia 28/08/2017 que  o drama de Ivana  “faz parte de uma estratégia da Globo por mobilização popular para discutir nas telas, sexualidade e identidade de gênero.” Deixemos o próprio artigo falar por si:  “Assim, um tema é abordado por vários programas. “Com ações em conjunto você dá a população um arcabouço de informações”. Ou posso dizer, uma ação orquestrada para desinformar e influenciar a população. O que a sociedade pensa não vale, o que a mídia expõe é que deve ser preponderante? Observe que não é só drama, é um pouco mais. 

Há várias décadas, a mídia está influenciando o comportamento da sociedade, inoculando seu veneno em doses homeopáticas, de forma quase indolor

Vejamos alguns exemplos recentes de desinformação. Não foi necessário ir muito longe, apenas a edição de 24/09/2017 do programa Fantástico, trouxe-nos várias amostras.

Sob a epígrafe de “Decisão de juiz que autoriza ‘cura gay’ causa mobilização e choque no Brasil”, a mídia global alardeou fartamente pela televisão e portais durante toda a semana passada, algum suposto desrespeito e afronta aos direitos dos homossexuais, o que mereceu inclusive espaço no Fantástico. Se o leitor tiver uma leitura da realidade, madura a ponto de não engolir essa, terá percebido que não passa de uma técnica de desinformação, que conseguiu distorcer a realidade. A bem da verdade, sabe-se que o homossexualismo não é doença (apesar de ter sido considerada com tal em um passado não distante). O homossexualismo é um comportamento humano, aprendido e praticado como qualquer outro comportamento e que pode ser mudado. O processo é oriundo de uma Ação Popular que questiona a Resolução 1/1990 do Conselho Federal de Psicologia, principalmente em seu 3º Artigo. O juiz considerou que uma interpretação equivocada da Resolução, pode restringir o trabalho dos psicólogos. Vejamos um trecho da decisão judicial:

“A fim de interpretar a regra em conformidade com a CF, a melhor hermenêutica a ser conferida àquela resolução deve ser no sentido de não privar o psicólogo de estudar ou atender aqueles que, voluntariamente, venham em busca de orientação acerca da sua sexualidade sem qualquer censura, preconceito ou discriminação”

O leitor certamente deve ter visto muitas expressões de ódio e preconceito nestas declarações do juiz Waldemar Cláudio de Carvalho. O homossexual que deseja mudar sua orientação sexual, tem o direito de fazê-lo quando quiser. E o psicólogo pode agora fazê-lo sem risco de sanção pelo Conselho de Psicologia que, arraigado por sentimentos totalitários, não gostou muito da decisão. É incrível como a mídia fala de liberdade, mas que liberdade é essa que a procura limitar a liberdade dos outros?

No mesmo programa, foi falado sobre as eleições para primeiro ministro na Alemanha. Segundo o que assisti ali, aprendi que “há um partido ultraconservador de extrema-direita (talvez isso seja uma redundância) com idéias nazistas e que está se apoderando da Alemanha, com vistas a implantar uma ditadura xenófoba e nacionalista”. Confesso que aquela reportagem me deixou com medo. A matéria refere-se ao Partido AfD (Alternativa para Alemanha) que possui orientação de direita e com o crescente número de ataques de terroristas muçulmanos, tem se posicionado contra o grande fluxo imigratório na Alemanha. Mas se você, assim como eu, não se satisfaz com tudo o que a mídia diz, saberá que desde a Segunda Guerra Mundial, fazer apologia ao nazismo na Alemanha é crime e que pode levar a três anos de prisão (Conforme 86º Artigo da Strafgesetzbuch). Configura-se portanto, mais um exagero com evidente objetivo de criar no telespectador estereótipos e reservas negativas, principalmente ao que se chama direita ou conservador e que a mídia extrapola o bom-senso ao adicionar o prefixo “ultra”.

Apesar de tudo isso, o Brasil segue como o segundo país do mundo que mais confia na mídia, segundo estudo realizado em 2016/2017 realizado pela Reuters em conjunto com a Universidade de Oxford

Caro leitor, hoje descobrimos que a desinformação tem sido uma das mais fortes e eficientes ferramentas de dominação da mente e manipulação dos fatos. É um acinte a inteligência de nosso povo. O que resta a você caro cidadão brasileiro, é não dobrar-se ás meias verdades proclamadas pelos meios de comunicação. O que observamos nestes dois exemplos é que a mídia nacional, tendo como seu representante mais poderoso e fiel a Rede Globo, demonstra claramente seguir uma agenda pró-LGBT e anti-conservadora. Mas com quais objetivos? Será que deseja apenas defender suas ideias em detrimento de outras? Onde está a liberdade de pensamento? Onde está o chamamento para o debate de idéias? Isso nos parece mais uma ditadura da opinião.

Sinto dizer caro leitor, mas o pior ainda está por vir.

 

 

Consulte mais informações e as fontes para este artigo:

Tradutores de Direita: O que é desinformação. http://tradutoresdedireita.org/entenda-o-que-e-desinformacao/

Veja: Acerto de Gloria Perez é mostrar que a dor de Ivana é universal. (veja.abril.com.br/entretenimento/acerto-de-gloria-perez-e-mostrar-que-a-dor-de-ivana-e-universal/)

Folha de São Paulo: Trans em ‘A Força do Querer’ faz parte de estratégia por mobilização social http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2017/08/1913533-trans-em-novela-da-globo-faz-parte-de-estrategia-por-mobilizacao-social.shtml

Portal Globo: Decisão de juiz que autoriza ‘cura gay’ causa mobilização e choque no Brasil – http://g1.globo.com/fantastico/edicoes/2017/09/24.html#!v/6170852

Sobre a ‘cura gay’:

Jota: As razões do juiz que liberou psicólogo oferecer cura gay. http://jota.info/justica/as-razoes-do-juiz-que-permite-psicologo-oferecer-cura-gay-18092017

Consultor Jurídico: Psicólogo pode atender quem busca orientação sobre sexualidade, diz juizhttp://www.conjur.com.br/2017-set-18/psicologo-atender-quem-busca-orientacao-sexualidade

A decisão do juiz Waldemar Claudio de Carvalho pode ser lida aqui: Ação Popular 101189-79.2017.4.01.3400 – http://s.conjur.com.br/dl/decisao-resolucao-conselho-federal.pdf:

A Resolução 1/1990 da CFP pode ser lida aqui: https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/1999/03/resolucao1999_1.pdf

Angela Merkel é reeleita primeira-ministra na Alemanha -http://g1.globo.com/fantastico/edicoes/2017/09/24.html#!v/6171002

BBC: Por que é mais fácil ser neonazista nos EUA do que na Alemanha. http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40958924

Estudo da Reuters em conjunto com a Universidade de Oxford sobre a confiança na mídia: http://www.digitalnewsreport.org/survey/2017/overview-key-findings-2017/