Tarantino diz que não ajuda mãe financeiramente por mágoa dela

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Mesmo vendo o filho ostentar uma fortuna estimada em mais de R$ 600 milhões, Connie, mãe do diretor Quentin Tarantino, 58, não vê um centavo sequer de todo esse montante.

A revelação foi feita pelo próprio cineasta ao poscast The Moment. Segundo ele, ainda na infância, quando já queria ser diretor e roteirista de cinema, sua mãe não o apoiava.

“Ela disse: ‘e a propósito, esta pequena carreira de roteirista que você está tentando simplesmente acabou’, com aspas nos dedos e tudo mais”, revelou o cineasta.

Ele conta que essa frase gerou uma mágoa existente até hoje. “Quando ela me disse isso daquele jeito sarcástico, eu apenas pensei: ‘quando eu me tornar um roteirista de sucesso você nunca verá um centavo do meu sucesso'”, lembrou Tarantino.

Vencedor do Oscar com “Pulp Fiction” (1994) e “Django Livre” (2012), Tarantino disse que ela não receberia carro, casa nem nada. A única coisa que ele ajudou foi na quitação de algumas dívidas até hoje.

“Existem consequências para suas palavras ao lidar com seus filhos, lembre-se de que existem consequências para seu tom sarcástico sobre o que é significativo para eles”, disparou.

Recentemente, o diretor disse que, caso o volume três do filme “Kill Bill” saia do papel, um dos personagens principais poderia ser Maya Hawke, 22, a filha da atriz Uma Thurman, 51.

Em entrevista ao podcast do entrevistador Joe Rogan, o cineasta não descartou a possibilidade de a continuação da franquia de sucesso iniciada no começo dos anos 2000 ser seu último projeto nos cinemas, apesar de não ter nada certo. Tarantino avalia parar de dirigir filmes.

Indagado sobre como seria a narrativa do longa após quase 20 anos do volume dois, apontou que gostaria de ver Maya interpretando Bebe, a filha de Beatrix Kiddo, também conhecida como a Noiva, que nos dois outros longas foi vivido por Uma.

Mais Notícias