Nany People entra em ‘Vai Que Cola’ e diz que o ‘humor é sobrevivência’

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – “Peguei um Ita no norte pra vim pro Rio morar”. Nany People, 56, cantarola a música de Dorival Caymmi (1914-2008) para falar da sua nova fase de moradora, ainda que temporária, da capital fluminense. O motivo são dois trabalhos no Grupo Globo. “Peguei o carro em São Paulo e vim para o Rio trabalhar,” diz, aos risos.

Há uma semana, a atriz e humorista deixou o seu apartamento na capital paulista, jogou “todas as suas tralhas no carro”, mais os dois cachorros e seguiu dirigindo para o Rio de Janeiro. “Sou dessas, sou aquela que pega e faz”, acrescenta.

Nany vai atuar em duas produções. Uma deles é na nova novela das 19h da Globo, “Quanto Mais Vida Melhor”, programada para estrear em novembro. E ela também estará em dez episódios da nona temporada do humorístico “Vai Que Cola”, do Multishow.

“Estou muito feliz após ter passado esse longo e tenebroso inverno”, afirma em referência ao período em isolamento por causa da pandemia. A atriz diz ainda não poder dar detalhes das personagens, mas ambas são cômicas.

Nany cita a frase do ator e humorista Paulo Gustavo, morto em maio por complicações da Covid, que o “humor salva” para destacar a importância de rir e fazer rir nos momentos difíceis.

“O humor é libertador, o humor é o único recurso que você tem para a encarar a vida de uma maneira mais altruísta e de fé”, destaca. “Quando você ri, faz a vida mais divertida, faz a vida mais tolerável. Isso não é alienação, é sobrevivência”, completa.

Para ela participar do “Vai Que Cola”, série que foi protagonizada por Paulo Gustavo em suas quatro primeiras temporadas, é um “privilégio”. “O programa é uma instituição. Agradeço a Deus todos os dias.”

Na história, Nany adianta que fará uma vizinha da dona Jô (Catarina Abdalla). “Ela vai dar pano pra manga, é só isso que eu posso falar por enquanto”. Já em “Quanto Mais Vida Melhor”, a atriz vai interpretar a porteira de um motel, onde se passa grande parte da trama.

Inicialmente, antes da Covid, Nany tinha sido escalada para fazer o papel da Morte. Mas por causa da pandemia, a ideia da trama sofreu uma série de alterações, e ela chegou a ser dispensada. “Na época, fiquei desapontada, é claro, mas vida que seguiu.”

No início de 2021, a atriz conta que foi convidada para fazer essa ponta como a porteira do motel, papel inicialmente que não tinha nem nome. Mas a personagem cresceu, ganhou nome (ainda não revelado) e história própria.

Para Nany, o percurso é semelhante ao vivido por ela em “O Sétimo Guardião” (2018), novela em que fez a sua estreia. “Assinei contrato para ficar três meses, mas a personagem foi ganhando a trama, e eu fui ficando”, relembra.

Além das duas produções na TV, Nany People também gravou em 2021 o filme “Barraco de Família”, protagonizado por Cacau Protásio e que deve estrear neste ano. Ela ainda estará na série de comédia da Amazon Prime Video, “LOL: Se Rir, Já Era”.

E no dia 22 de setembro, ela será homenageada na Câmara Municipal do Rio com a medalha Chiquinha Gonzaga. A iniciativa foi da vereadora Rosa Fernandes (PL) como forma de reconhecer a atuação artística de Nany People.

“A verdade é que a comédia me escolheu. O humor é a nossa maior defesa de encarar a vida. Você tem duas maneiras de tomar um xarope amargo: ou você engole feliz que aquilo vai te curar, ou engole reclamando e até engasga. O humor ajuda a engolir e de uma maneira libertadora”, conclui Nany.

Mais Notícias