13/11/2018

Candidato ao Senado, Lafayette Andrade promete legalizar a prostituição

Segundo o candidato, a medida não tem como objetivo incentivar a prostituição feminina. Mas na prática, se aprovada legalização, a prostituição passa a ser um comércio reconhecido pelo estado e muitas “profissionais” da prostituição surgirão no futuro, já que a prática passará a ter amparo legal.  

Se for eleito, a prostituição será legalizada como uma profissão, prometeu Lafayette Andrade

Mas uma proposta que não conta com o apoio da população, mas que serve ao interesses de minorias surgiu na cena polótica de Campo Maior. É proposta do candidato a senador pelo Piauí Lafayette Andrade estabelecer um registro profissional para legalizar a profissão de prostituta. 

Segundo o candidato, a medida não tem como objetivo incentivar a prostituição feminina. Mas na prática, se aprovada legalização, a prostituição passa a ser um comércio reconhecido pelo estado e muitas “profissionais” da prostituição surgirão no futuro, já que a prática passará a ter amparo legal.

Em um programa de rádio ele prometeu que a legalização da profissão de prostituta será seu primeiro ato. “Porque não apoiar essas profissionais do sexo? Elas também precisam ter os seus direitos de trabalhador garantidos”, disse ele. Medidas como essa revelam que focos realmente importantes na discussão política não estão sendo discutidos por muitos candidatos.

A proposta também é defendida por movimentos no Brasil, e Lafayete segue na mesma direção de movimentos como o feminismo e o LGBT, que lutam para legalizar casamento gay, casamento entre diversos parceiros simutâneos e à legalização da prostituição.

Veja também