20/11/2019

As ideias de doutrinação do Marxismo Cultural de Antonio Gramsci

Depois do fracasso do marxismo nos países comunistas, Antonio Gramsci foi o responsável por readequar a implantação do marxismo, não mais através da revolução armada, mas da penetração na cultura.

A obra do filósofo comunista Antonio Gramsci, mais de três quartos de século após sua morte, continua a exercer influência em intelectuais e políticos, movimentos e partidos, instituições e organizações de esquerda dos mais diversos tipos e concepções.

Gramsci ensinava que “o teatro de operações da revolução comunista não era o campo de batalha, mas o ambiente cultural e que o novo homem, anunciado por Marx, emergiria não do terror revolucionário, mas da transformação das mentes”. As bases do que ficou conhecido como Marxismo Cultural, que nada mais é do que a implantação  das ideias marxistas através da cultura, o que significa dizer, a inundação do conhecimento ou da ciência em uma base marxista. Não uma revolução armada, como o marxismo já promoveu e fracassou, mas a revolução da cultura.

Exemplar desse pavor foi expresso, recentemente no Brasil, por uma importante representante do tradicionalismo antidemocrático, a presidente da Confederação Nacional da Agricultura, Senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) ao afirmar que estava em andamento no país uma revolução comunista tendo por base a teoria política de Gramsci.

Vídeo mostra como funciona a doutrinação do Marxismo Cultural na mídia, nos meios de comunicações, na ação intelectual e nas universidades.

Veja também