18/04/2019

EUA

Visto de brasileiros para entrar nos EUA pode ser facilitado

“O presidente Trump sinalizou sobre a possibilidade, para alguns grupos de brasileiros, [de] começar a abrir a isenção de visto“, afirmou, diretamente de Santiago, no Chile, onde cumpre agenda a partir desta sexta-feira. O presidente brasileiro não detalhou como será essa isenção.

Visto para brasileiros será facilitado. Acordo aconteceu depois da reunião entre Trump e Bolsonaro, mas só foi anunciado essa semana

Segundo o presidente Bolsonaro, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sinalizou que é possível facilitar a entrada dos brasileiros nos EUA, como gesto de resposta à decisão do governo brasileiro de isentar do visto de turismo e negócios, para entrada no país, cidadãos de quatro países. A afirmação foi feita nesta quinta-feira (21/3) durante transmissão ao vivo na internet.

A sinalização teria ocorrido durante reunião bilateral ocorrida na última terça-feira, em Washington, na primeira visita oficial de Bolsonaro ao exterior.

O presidente Trump sinalizou sobre a possibilidade, para alguns grupos de brasileiros, [de] começar a abrir a isenção de visto“, afirmou, diretamente de Santiago, no Chile, onde cumpre agenda a partir desta sexta-feira. O presidente brasileiro não detalhou como será essa isenção.

De acordo com o presidente norte-americano, no entanto, a ideia é viabilizar a inclusão do Brasil no programa Global Entry, iniciativa do governo dos EUA que permite que viajantes frequentes de determinados países possam entrar no país sem passar pelas filas de imigração. Atualmente, são elegíveis ao programa cidadãos de 11 nações: Argentina, Índia, Colômbia, Reino Unido, Alemanha, Panamá, Cingapura, Coreia do Sul, Suíça, Taiwan e México.

Apesar de facilitar a entrada, o Global Entry não chega a isentar os viajantes de visto. São exigidas algumas condições básicas, como entrevista e comprovante de inexistência de antecedentes criminais.

Bolsonaro justificou a decisão do governo brasileiro de isentar de vistos viajantes temporários oriundos de EUA, Japão, Canadá e Austrália, ao dizer que a medida vai gerar divisas para o país, por meio da promoção do turismo.

Houve uma crítica, por parte da imprensa, de que deixaríamos de arrecadar nessa questão de visto em torno de R$ 60 milhões por ano. Só que, com toda certeza, como o fluxo de gente será muito grande aqui, dada a isenção de visto, para turismo e negócio, eles vão deixar bilhões aqui dentro, que superam, em muito, esses R$ 60 milhões que, por ventura, estaremos perdendo aí na isenção de visto“, afirmou.

Veja também