13/11/2019

Rússia: Putin confirma candidatura à reeleição em 2018

Se vencer, presidente russo completará mais de duas décadas como principal líder político do país

Presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprimenta público durante cerimônia em Moscou, na Rússia

O presidente da RússiaVladimir Putin, anunciou nesta quarta-feira que buscará a reeleição na disputa presidencial agendada para março de 2018. Caso conquiste mais uma vitória no pleito, será o quinto mandato do político russo que, desde 2000, é a principal figura de governo do país, seja na condição de presidente ou de primeiro-ministro.

“Eu apresentarei minha candidatura para o posto de presidente da Federação Russa”, disse Putin a um público de operários em uma fábrica de automóveis na cidade de Nizhny Novgorod, acrescentando que “não há melhor lugar ou oportunidade para apresentar minha candidatura”.  “Nosso país é feito de pessoas como vocês”, disse em meio a aplausos dos funcionários.

Pela manhã, Putin participou de uma cerimônia em Moscou na qual deu pistas sobre suas intenções. Ao perguntar à plateia de uma premiação de voluntariado se as pessoas o apoiariam em uma possível reeleição, o presidente russo ouviu um ‘sim’ em uníssono dos presentes, segundo informou a rede russa RT. “Quando eu tomar a decisão, levarei em conta essa reação”, disse.

Pesquisas de opinião indicam que Putin ganharia a votação facilmente, estabelecendo a base para que ele estenda seu domínio sobre o cenário político russo por uma terceira década. Caso seja reeleito, o político, de 65 anos, servirá por mais seis anos no posto. Com exceção do período entre 2008 e 2012, quando assumiu o cargo de primeiro-ministro sob o governo do aliado Dmitri Medvedev, Putin foi o único oficial a assumir a cadeira da Presidência russa neste século.

De acordo com pesquisa conduzida pela agência independente Levada em agosto, a aprovação de Putin na Presidência é de 83%, enquanto os números para Medvedev, atual primeiro-ministro do país, ficam na casa de 48%. No mesmo levantamento, os parlamentares em atividade em Moscou tiveram a atuação rejeitada por 57% dos entrevistados.

Embora os números sejam favoráveis, Putin é alvo frequente de críticas da comunidade internacional e da oposição no país, que acusa o político de conduzir um regime autoritário, repressor e corrupto. Alexei Navalnyum dos principais rivais do presidente russo, está proibido de concorrer nas eleições de 2018 devido a acusações de fraude. Em setembro, ele foi detido pela polícia quando pretendia seguir para Nizhny Novgorod, cidade que serviu de palanque para o anúncio da nova candidatura de Putin, onde participaria de um comício. A ação pública não havia sido autorizada por Moscou.

Veja também