24/01/2020

Trabalhador de 64 anos da lição de economia em Campo Maior

Trabalhador disse que atualmente as pessoas não querem mais trabalhar porque esperam receber tudo do governo

Enquanto muitos empresário reclamam do comercio e das vendas fracas, Luís Fernando, 64 anos, vendedor de espanador, percorre as ruas da cidade e vive do seu trabalho. Nossa reportagem encontrou o vendedor (que também é o fabricante), carregando 6 espanadores, e 3 espanadores do tipo “limpa teto”. O vendedor percorria o bairro São Luís na manhã do feriado de Corpus Christi (31/05). Indagado sobre o trabalhar no feriado, ele disse:

O PROBLEMA: “o governo da tudo para as pessoas e ninguém tem mais coragem de trabalhar, de produzir nada”

“Pra mim não tem dia de ficar parado. Só não trabalho mesmo no domingo”, afirmou. O vendedor Luís Fernando sai de sua residencia, no bairro Santa Rita, e percorre vários bairros de Campo Maior vendendo seu produto. Ele disse que o espanador é feito com a palha da carnaúba, de forma artesanal.

“Eu mesmo tiro a palha e faço na minha casa. Trabalho todo dia fazendo espanador e vendendo. Tudo que eu faço eu vendo e todo dia tenho comida em casa”, disse ele, orgulhoso do trabalho. “Não ando reclamando, dizendo que a coisa ta ruim. Só ta ruim pra quem não que trabalhar”, afirmou.

Luis Fernando percorre a cidade toda vendendo espanador. No final do dia, ele disse que vale a pena o esforço

O vendedor de espanador disse que o povo hoje é preguiçoso e não quer trabalhar. Segundo ele, a culpa de tudo isso é do governo. “Ninguém mais tem coragem e nem quer trabalhar porque espera ganhar tudo do governo”, lembrando que as bolsas e o assistencialismo promovido pelo Estado prejudica a economia e acarreta em pobreza.

Questionado sobre as vendas de hoje, ele foi rápido em responder. “Já vendi mais de 20 espanador hoje”. O relógio marcava 10;15h. Segundo o vendedor, o espanador tipo “limpa teto” é o que vende melhor. “Esse pequeno custa R$ 5 reais, e esse custa R$ 20 reais. Esse de vinte é o que mais vende”, disse ele.

TRABALHO: Só no feriado, o vendedor disse ter vendido mais de 20 espanadores “limpa teto”. “O povo é que não quer mais trabalhar”

O vendedor de espanador, com sua visão de mundo, ensinou o governo, a classe dos empresários e a população em geral, preciosas lições de economia e de progresso.