13/11/2018

Fim da greve dos caminhoneiros no PI é anunciada por sindicato de patrões

Classe patronal não quer arcar com a responsabilidade de estar incitando o movimento grevista dos caminhoneiros e já há investigações da PRF sobre suspeitas de locaute

Posicionamentos da Associação Nacional dos Transportes de Cargas e Logística (NTCeLogística) contrários à greve dos caminhoneiros no Brasil fez com que o Sindicato dos Transportadores de Cargas e Logística do Piauí (Sindicapi) – classe patronal – se posicionasse sobre o assunto, em nível estadual, onde a paralisação dos trabalhadores já dura seis dias. A divulgação do comunicado piauiense aconteceu por meio das redes sociais, no último domingo (27/05) e decretava o fim da paralisação, o que não aconteceu.

Humberto Lopes, presidente do Sindicapi,em nota diz respeito a um suposto acordo do presidente Michel Temer com os grevistas e, na noite do último domingo (27/05), o governo emedebista e a NTCeLogística chegaram a dizer que os caminhoneiros cessariam o movimento. A greve não findou e as recomendações para o Piauí e os demais estados são que os bloqueios parciais das rodovias federais continuem.

PATRÕES SÃO CONTRA A GREVE

Pelos posicionamentos patronais, conclui-se que a NTCeLogística e o Sindicapi não querem arcar com a responsabilidade de estarem incitando o movimento grevista dos caminhoneiros, já que os mesmos estão sob a mira de inquérito da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em uma investigação de locaute – quando patrões forjam paralisações dos empregados para que os interesses dos contratantes sejam atendidos e não os dos contratados.

“Acredito que, se o Sul e o Sudeste encerrarem o movimento, o restante também pode terminar. No Nordeste, se vê que o abastecimento já está quase normal. O problema é que o presidente negocia com as pessoas erradas. Ele deveria pegar essas lideranças, levar a Brasília e dialogar, em vez de estar ameaçando de prisão. A greve é dos carreteiros e não dos empresários. Não se tem previsão para acabar”, explicou Humberto, e acrescentou que hoje acontece uma reunião com empresários para que a situação seja discutida.

PRF INVESTIGA LOCAUTE

O fato é que os grevistas teresinenses já cumprem intimações da PRF no Piauí, a fim de esclarecerem sobre as suspeitas de locaute levantadas pelo Governo Federal. Edvan Ferreira, intitulado porta-voz da greve em Teresina, reafirmou que o bloqueio parcial da BR-316 é pacífico e não tem contrapartida de entidade sindical, partidária, social nem empresarial ou patronal.

GREVE CONTINUA

Na manhã desta segunda-feira (28/05), Edvan Ferreira, intitulado pelos grevistas teresinenses como porta-voz dos caminhoneiros. Ele confirma que o ato vai continuar e que a manifestação é em prol de todos os brasileiros, mesmo com “várias intimidações sofridas por parte do presidente Michel Temer”.

Para Edvan Ferreira, somente caminhões com cargas vivas e hospitalares podem furar bloqueio dos caminhoneiros na BR-316

“O nosso movimento é pacífico, é ordeiro, é legítimo, por mais que o governo queira forjar documentos e acordos que não reconhecemos, enquanto classe trabalhadora. Não estamos com sindicatos, que geralmente está em favor das decisões do governo. A classe em nível nacional não reconhece nem sabe quem são essas pessoas. A nossa manifestação continua e deve continuar”, enfatizou Edvan.

NOTA DOS EMPRESÁRIOS PIAUIENSES

A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística – (NTCeLOGÍSTICA) anuncia o fim do movimento que, durante 5 dias, parou o país. Após o acordo, o SINDICAPI (Sindicato dos Transportadores de Cargas e Logística do Piauí) faz uma avaliação positiva da paralisação que terminou sendo uma vitória não somente dos carreteiros, mas de todos os brasileiros! Muito obrigado Brasil!

NOTA NACIONAL DOS EMPRESÁRIOS

A paralisação dos caminhoneiros, que nunca teve o apoio da FETCESP, está chegando ao fim. O governo está promovendo ações para acabar com os bloqueios nas estradas brasileiras, o que deve ocorrer nas próximas horas.

A situação de falta de abastecimento nas cidades é grave, exigindo dos empresários ações emergenciais e rápidas para suprir as necessidades da população.

 Assim, é imprescindível um grande empenho de todos os dirigentes das entidades sindicais entrando em contato com as empresas de suas bases e mobilizando todos os empresários para colocar a frota de veículos rodando nas estradas assim que os bloqueios terminem.

Contamos, como sempre, com o empenho e determinação de todos para uma rápida normalização do abastecimento de toda a cadeia de consumo e atendimento à população.

Fonte: Oitomeia