20/11/2019

Piauí, um estado com vocação para produzir energias renováveis

Neste dia 19 de outubro, Dia do Piauí, o estado tem muito a comemorar. De um povoamento tímido[…]

Neste dia 19 de outubro, Dia do Piauí, o estado tem muito a comemorar. De um povoamento tímido com economia bastante pequena, o estado agora se consolida com uma agricultura com uma produção de grãos que cresce a cada dia nos cerrados piauienses. Mas agora o Piauí se firma com o maior produtor de energias renováveis.O litoral começa a chamar a atenção de artistas que já incluem o estado no seu pacote turístico. Uma culinária muito regional e típica, com pratos apreciados pelo visitante. Enfim, o Brasil descobriu as potencialidades do Piauí. Viva o Piauí!

Cerrados piauienses – última fronteira agrícola do país

Com ajuda de imigrantes do sul do Brasil, os Cerrados é a região que mais se desenvolve no Estado. Ainda com a agropecuária, economia secular, os moradores do extremo sul do Piauí, vem desenvolvendo atividades e cidades como: Corrente, Uruçuí, Bom Jesus, Corrente, Cristino Castro, Palmeira do Piauí e Nova Santa Rita.

Em Corrente, o gado é o motor da economia. A pecuária ganha novo impulso com a nova classificação do Piauí em relação à febre aftosa. Alguns criadores são o retrato dessa experiência bem sucedida.

A cidade é referência para dez municípios que desperta para novidades na assistência à saúde, educação e prestação de serviços. Cidades próximas também “pegam carona” nesse potencial de desenvolvimento, em Gilbués a exploração do diamante prova que os tesouros da região são diversificados.

Graças à produção agrícola, é surpreendente o impacto positivo da injeção de recursos na região dos Cerrados. Maior renda per capita. Melhor qualidade de vida dos habitantes, com lojas de máquinas e equipamentos se instalam na região. A geração de empregos e renda beneficia outros setores como o de serviços, com o crescimento do comércio, hotelaria e restaurantes. Outros empreendimentos desenham um novo perfil na economia.Subindo um pouco mais em direção ao Norte, a pequena Currais, emancipada há 12 anos nasceu forte graça ao campo. São 35 mil hectares abertos nos Cerrados das Serras Laranjeiras e Pirajá enormes estruturas construídas para beneficiamento de grãos, principalmente a soja. Fazendas e investidores atraídos pela riqueza natural da última fronteira agrícola do país.

Platôs de Guadalupe

Os Platôs de Guadalupe já estão se destacando na produção de hortifrútis no Piauí e possuem dezenas de lotes empresariais já entregues para a fruticultura: banana, maracujá, coco, melancia e goiaba. A produção de banana tem se destacado como modelo do projeto, com 150 hectares implantados. Toda a produção de banana é comercializada nos estados do Piauí, Maranhão, Pernambuco e Ceará.

Tabuleiros litorâneos

Localizado nos municípios de Parnaíba e Bom Princípio, na região litorânea do Piauí, o perímetro de irrigação Tabuleiros Litorâneos é cortado pela BR-343 que dá acesso à cidade de Parnaíba (16km) e Teresina (330km). O perímetro é um empreendimento do Departamento Nacional de Obras Contras as Secas (DNOCS), vinculado ao Ministério da Integração Nacional, com a transferência de gestão para as organizações dos produtores.Esse polo produtivo possuí uma localização privilegiada, fica localizado na foz do Rio Parnaíba e a 12 km do Município de Parnaíba, cidade que possui uma população de 150 mil habitantes.A agricultura orgânica certificada é a marca dos seus cultivos. Ao todo, o projeto tem aproximadamente 2,5 mil hectares, e desta área, 800 ha estão em plena produção, onde 80% do cultivo são produzidos de forma orgânica.O destaque na produção é para a acerola que ocupa a maior área plantada que totalizaram no ano de 2014, cerca de 6.500 toneladas. Outras culturas também são produzidas, como a melancia, coco, mamão, caju, manga e goiaba.A qualidade dos produtos é conhecida em todo o Brasil. Grandes empresas do ramo adquirem as frutas e comercializam nas centrais de abastecimento das capitais e nos supermercados das regiões Nordeste, Sul e Sudeste.A acerola orgânica certificada é exportada indiretamente por uma multinacional que realiza toda a compra com os produtores do Distrito de Irrigação,via as duas Cooperativas, BIOFRUTA e ORGÂNICOS e a empresa ACEPAR instalada no perímetro.A produção com orgânicos no perímetro rendeu em 2014 cerca de R$ 13 milhões, com geração de 2.700 postos de trabalho fixos e temporários,que influência diretamente uma cadeia produtiva de mais de 23 setores. “É importante destacar que a fonte de suprimento hídrico de Tabuleiros Litorâneos é o rio Paranaíba, cuja captação está localizada próximo à foz, sem conflito entre o abastecimento humano e a geração de energia. A água que teria como destino o mar, agora gera desenvolvimento”.

Energias renováveis

Energia eólicaA produção eólica do Piauí cresceu muito nos últimos anos, transformando o estado no quarto maior produtor desse tipo de energia renovável no Brasil. O levantamento realizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) mostrou que o Piauí fechou o ano de 2018 como o 4º maior estado em capacidade de geração de energia eólica no Brasil e deve encerrar 2019 como o terceiro maior.Durante o ano de 2018 – janeiro a novembro – o Piauí aparece na quarta colocação com 651 MW médios na geração de energia eólica. O maior gerador de energia eólica foi o Rio Grande do Norte com 1.513 MW médios, sendo seguido pela Bahia (1.271 MW médios) e Ceará (775 MW médios).Entre as usinas eólicas destaca-se a produção da Delta do Parnaíba I e Delta do Parnaíba II da empresa Omega Energia, Caldeira I e Caldeirão II do grupo Queiroz Galvão, Ventos de São Vicente da Votorantim, Aura Lagoa do Barro da Atlantic/Acciona, Ventos do Araripe I e Ventos do Araripe II da empresa Casa dos Ventos e a Chapada do Piauí da empresa Contour Global.

26 novas usinas vão se instalar no Piauí

O Piauí já é considerado a nova fronteira para o mercado de energia eólica no Brasil, devido ao alto potencial eólico, e a expectativa é de que a produção cresça ainda mais já que de acordo com o levantamento da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o estado ganhará mais 26 usinas de energia eólica entre 2019 e 2023, acrescentando 735 MW na capacidade de geração de energia eólica.O estudo revela que o Piauí conta com 75 usinas ativas, sendo 58 eólicas, 9 solares fotovoltaicas, 5 térmicas a óleo, 2 hidroelétricas e 1 térmica a biomassa. Até o final de 2018, o Piauí tinha capacidade instalada de 1.584 MW em usinas eólicas. “Já estão leiloados para início de operação entre 2019 e 2023, mais 26 usinas de energia eólica, que acrescentarão 735 MW na capacidade de geração de energia eólica”, aponta o relatório da CCEE.

Energia solar

cidade de São Gonçalo do Gurguéia, no Estado do Piauí, foi escolhida para abrigar um dos parques solares mais significativos do mundo, com potência de 475 megawatts (MW). A empresa responsável pelo empreendimento é a ENEL Green Power Brasil, que anunciou um investimento total de cerca de R$ 1,4 bilhão.O projeto já é considerado a maior planta solar fotovoltaica atualmente em construção na América do Sul e deve entrar em operação em 2020. Em declarações à imprensa, Antonio Cammisecra, responsável da Enel Green Power pela linha global de negócios de energias renováveis, afirmou que “o início da construção desta planta fotovoltaica fortalece a liderança da empresa no setor brasileiro de energias renováveis. “São Gonçalo vai contribuir para a diversificação e resiliência da matriz energética do País, respaldando um ciclo econômico virtuoso por meio do fornecimento de energia sustentável no longo prazo”, disse.Em plena operação, a nova planta será capaz de gerar mais de 1.200 GWh por ano e, assim, evitar a emissão de mais de 600 mil toneladas de CO2 na atmosfera. Do total da capacidade instalada do empreendimento, 388 MW foram conquistados pelo Grupo Enel no leilão brasileiro A-4, em dezembro de 2017, e estão apoiados por contratos de fornecimento de energia de 20 anos para um pool de distribuidoras que operam no mercado regulado. Os 87 MW restantes serão negociados no Ambiente de Contratação Livre (ACL).Somente no Brasil, as subsidiárias EGPB e Enel Brasil, ligadas ao Grupo Enel, já totalizam uma capacidade instalada de renováveis de mais de 2,9 GW, dos quais 842 MW de energia eólica, 820 MW de energia solar fotovoltaica e 1.269 MW de energia hídrica.A Enel Green Power atua no desenvolvimento e operação de energias renováveis em todo o mundo, com presença na Europa, Américas, Ásia, África e Oceania, sendo líder global no setor de energia verde com uma capacidade gerenciada de cerca de 43 GW em um mix de geração que inclui eólica, solar, geotérmica e hidrelétrica. A empresa está na vanguarda da integração de tecnologias inovadoras em usinas renováveis.

Turismo piauiense

O estado do Piauí tem como principais atividades econômicas a agricultura com o cultivo do arroz, algodão, mandioca e cana-de-açúcar, além da pecuária e da indústria. O Piauí faz limites com cinco estados: Bahia, Pernambuco, Ceará, Tocantins e Maranhão. Seu nome vem da língua tupi e significa “rio das piabas”.O Piauí ainda não é tão procurado pelos turistas, talvez por ser o estado da região Nordeste com o menor litoral do Brasil. Mas aí que está toda a diferença. O estado possui uma grande diversidade de paisagens, sendo um lugar mais encantador que o outro com morros, cachoeiras, mangues, rio, praias, formações rochosas e muitos outros atrativos naturais que deixam qualquer turista maravilhado.O Delta do Parnaíba é um exemplo de beleza, onde conta com mais de 70 ilhas com praias, dunas, mangues, muitas espécies de aves e peixes, um verdadeiro santuário ecológico.Porém ainda existem outros pontos turísticos espalhados pelo estado que podem ser visitados como: Parque Nacional Serra da Capivara, Museu Natureza, em Coronel José Dias, Parque Ecológico da Cachoeira do Urubu, Parque Nacional das Sete Cidades, Lagoa do Portinho, Praia do Coqueiro, Praia de Atalaia, Praia da Pedra do Sal, Barra Grande, a queridinha dos vips, entre outros.A capital do estado, Teresina, possui muitas áreas arborizadas e praças, sendo que é conhecida como “Cidade Verde”. No centro da cidade se encontram casarões históricos, Mercado Central São José, Polo Cerâmico de Poty Velho, central de artesanato, pontes e muito mais.O estado possui paisagens incríveis, repleto de cultura e tradições com comidas muito saborosas e temperos únicos. Vale a pena a visita!

Fonte: Diário do Povo
Veja também