13/11/2018

Secretário de saúde visitou desabrigados e direcionou duas equipes para ajudar famílias

Marcelo Miranda também falou sobre as doenças que os alagamentos podem trazer à população de Campo Maior. Duas equipes estão de prontidão atendendo as famílias vítimas das cheias

Uma das equipes de multiprofissionais instruindo pessoas sobre os riscos que a enchente traz à saúde. Vários atendimentos já foram realizados

Na manhã de hoje o secretário de saúde de Campo Maior Marcelo Miranda alertou sobre os riscos de saúde que os alagamentos podem trazer, por isso, alertou a população a tomar todas as medidas de precaução nesse momento.

“Reunimos hoje uma equipe multiprofissional, com médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, psicólogo e assistente social, para avaliar a situação de saúde das famílias desabrigadas pelas chuvas”, disse Marcelo, que se mostrou preocupado com a situação, mas otimista.

Os atendimentos estão sendo realizados nos abrigos. Crianças e idosos tem prioridade

Ontem o secretário enviou duas equipes com profissionais de saúde para socorrerem os desabrigados que ainda estavam em áreas de risco e outra equipe para prestar auxílio às famílias que já estão alocadas em abrigos da Prefeitura de Campo Maior.

Marcelo Miranda disse que ações como essas são de extrema necessidade e urgentes. “As pessoas que estão nessa situação não podem esperar, é preciso agir rápido e nós estamos conseguindo atender os desabrigados e continuamos nas áreas alagadas buscando as famílias”, reafirmou, lembrando que as crianças são as mais afetadas em situações desse tipo.

Marcelo Miranda esteve nos abrigos e acompanhou o trabalho das equipes

Situações de grandes enchentes ocasionam sérios riscos à saúde das pessoas, podendo trazer doenças como leptospirose, hepatite A, diarréia aguda, dentre outras, ocasionadas por vírus, bactérias e fungos, disse o secretário.

Nesse momento o apoio de secretaria de saúde faz-se primordial, pois a situação é de “emergência” no município. “Todo o nosso esforço é necessário para evitarmos adoecimento e promover os cuidados necessários a essas famílias. E mais que cuidado, esse é um momento de mostrarmos nossa humanidade e solidariedade ao próximo” frisou o secretário.